terça-feira, março 30, 2010

CONFERÊNCIA O DISCURSO NA POLÍTICA
No âmbito das comemorações do Centenário da I República que temos vindo a promover, realizou-se no passado dia 22 de Março uma segunda conferência intitulada O Discurso na Política. O orador, desta feita foi o Dr. Miguel Macedo, deputado do PSD na Assembleia da República, eleito pelo círculo de Braga. Na ocasião, o orador fez uma análise acerca da natureza do discurso político, as suas características a sua adequação aos diferentes públicos e circunstâncias e a sua evolução ao longo dos tempos. Centrou, particularmente, a sua reflexão na mediatização do discurso político e nas implicações que tem para o discurso político a influência e condicionamento dos mass media e das novas tecnologias de informação.
Na mesma ocasião esteve presente na Biblioteca da Escola o actor António Durães que na ocasião encenou os discursos de dois vultos da I República: Afonso Costa e Manuel de Arriaga. Foi um momento particularmente interessante que permitiu reviver os momentos efervescentes do final da Monarquia e da I República e a exaltação e brilhantismo dos discursos destas duas figuras de proa da história portuguesa.







segunda-feira, março 29, 2010

21 de MARÇO - DIA MUNDIAL DA POESIA


Assinalámos, no passado dia 22 de Março, o Dia Mundial da Poesia – comemorado na véspera, dia 21 – com um conjunto de iniciativas destinadas a toda a comunidade educativa. A evocação iniciou-se alguns dias antes com uma campanha de promoção da utilização de poesias e versos de poetas em SMS, procurando conciliar a leitura da poesia com o uso de mensagens amplamente difundida entre os jovens.
Na tarde do dia 22 realizou-se na Biblioteca da Escola uma sessão amplamente participada por alunos e docentes e que contou com a presença do poeta Vergílio Alberto Vieira que manteve presa a assistência nas suas palavras e na sua poesia. Na mesma ocasião procedeu-se à entrega de prémios aos alunos que participaram no Concurso Nacional de Leitura. A sessão permitiu ainda uma nova apresentação do livro de poemas Suave Pensamento da aluna autoria de Isabel Silva, uma aluna de 11º ano da nossa Escola. Toda a sessão foi pontuada pela leitura de poemas de autores nacionais e estrangeiros e terminou com uma concorrida sessão de autógrafos de Vergílio Alberto Vieira.

terça-feira, março 23, 2010

Comemoração do Dia Internacional da Mulher na ESA



O dia 8 de Março - Dia Internacional da Mulher – foi assinalado na Biblioteca/Centro de Recursos ESA por dois grupos de alunas do 12º. D (Carla, Carina, Rita Pereira e Sara; Rita Vieira, Paula, Sílvia Ferreira), que prepararam, no âmbito de Área de Projecto, uma intervenção performativa apresentada às turmas 10º. A e 11º. D e respectivos professores (Manuela Sousa e Lurdes Costa).
Neste evento foi feito o enquadramento histórico de tal celebração, a que se seguiu a apresentação de um diaporama sobre o estatuto da mulher desde a Implantação da Primeira República em Portugal (de que este ano se comemora o Centenário) até à actualidade, sendo dado destaque a algumas notáveis republicanas que, no início do século XX, afirmaram o seu valor intelectual e profissional, tendo tido uma enérgica acção política e cívica, sobretudo em prol da condição feminina, dos Direitos da Mulher e da sua afirmação, nomeadamente: Maria Veleda (escritora, pioneira na luta pela educação das crianças e os direitos das mulheres, dirigente da Liga Republicana das Mulheres Portuguesas), Ana de Castro Osório (intelectual ensaísta, jornalista, conferencista, activista republicana, teorizadora da emancipação feminina, autora do ensaio – Às Mulheres Portuguesas -, foi consultora de Afonso Costa – Ministro das Justiça do Governo Provisório - no respeitante à lei do divórcio, fundadora da Liga das Mulheres Portuguesas e dirigente de movimentos feministas), Carolina Beatriz Ângelo (Médica, fundadora da Associação de Propaganda Feminista e a primeira mulher a votar em Portugal), Adelaide Cabete (Médica Obstetra, presidente do Conselho nacional das Mulheres Portuguesas), Angelina Vidal (jornalista, poetisa e professora, defensora dos direitos das mulheres e activista), Carolina Michaelis (a primeira mulher a leccionar numa universidade – Coimbra - , crítica literária e escritora). Seis mulheres que estão na origem da luta feminina e de muitas das conquistas da mulher que só mais tarde, sobretudo depois da Revolução de Abril e com a Democracia, foram possíveis. A mensagem deixada pelas alunas (Rita Vieira, Paula e Sílvia), que estavam vestidas à época, foi que, apesar das muitas vitórias já alcançadas, a mulher, em pleno século XXI, ainda continua a ser discriminada e subjugada, não podendo cruzar os braços nem fechar a boca às injustiças de que ainda é vítima, tendo de prosseguir a luta no sentido de que a Democracia seja plena.
Depois, o outro grupo de alunas (Carina, Carla, Rita Pereira e Sara) elencou 25 escritoras portuguesas (tantas quantas os anos de existência da escola) que se destacaram ao longo deste século (também expostas num placard no interior deste espaço), tendo lido extractos do ensaio de Ana de Castro Osório – Às Mulheres Portuguesas – bem como textos, sobretudo poéticos, de outras escritoras, como Florbela Espanca, Sophia de Mello Breyner, Alice Gomes, Natália Correia, Regina Guimarães (uma presença familiar na nossa escola), Rosa de Lobato Faria (uma homenagem pela morte recente), Ana Paulo Inácio (pela afirmação do feminino numa escrita irreverente), cujo perfil biográfico apresentaram brevemente, usando discretos elementos caracterizadores.
Para rematar, estava prevista a audição da leitura desconstruída do poema “Calçada de Carriche” de António Gedeão, gravada há cinco anos atrás por um grupo de alunas do 12º. C, também no âmbito de Área de Projecto, acompanhada da projecção de imagens (performance fotográfica que integrava o mesmo projecto), mas um problema técnico impossibilitou tal desfecho, que foi substituído por algumas palavras da professora Ana Forte, coordenadora dos trabalhos.
Ao toque de saída, os presentes levantaram-se, aplaudindo energicamente a iniciativa, demonstrando não terem dado por perdidos os quarenta e cinco minutos que ali estiveram atentamente a assistir.

segunda-feira, março 08, 2010

CONFERÊNCIA REPÚBLICA, UTOPIAS E REALIDADES

Na tarde da passada 3ª feira, 2 de março, pelas 15.15H realizou-se na BIblioteca/CRE a conferência República, Utopias e Realidades, proferida pela Dra. Noémia Malva Novais (Jornalista, Professora e Investigadora e membro da Comissão das comemorações do centenário da República). A sessão decorreu num tom vivo que despertou a atenção dos muitos presentes - alunos e professores - que ficaram com um panorama dos antecedentes do movimento republicano, um retrato dos acontecimentos e uma visão dos anos da I República. Com esta iniciativa demos início às comemorações do Centenário da I República na nossa Escola

quinta-feira, março 04, 2010

CENTENÁRIO DA REPÚBLICA

Conferência República, Utopias e Realidades, pela Dra. Noémia Malva Novais (Jornalista, Professora e Investigadora). Terça-feira, 2 de Março, 15.15 H, na Biblioteca/CRE
23 de FEVEREIRO

A nossa Escola comemora 25 anos de existência. À porta da Biblioteca/CRE assinalámos também a efeméride com algumas imagens do nosso arquivo.



Das Leituras

Um grupo de alunos do 9ºE, orientados pela professora Aurélia Mota, produziu este texto partindo da leitura, no âmbito do PNL, do livro Sempre do teu lado, da autoria de Maria Teresa Maia González
Ufa…! Foi só um sonho!
Num belo dia de chuva, Gui, sua namorada Gisela e o seu melhor amigo Qriz, foram para o campo recolher as colheitas de Fevereiro. De repente ouve-se Gisela a gritar.
Gui muito atrapalhado olhou para trás e não viu a sua namorada. Ficou assustado!
Gui - Oh Qriz onde está a Gisela?
Qriz - (entre soluços) - Não sei!
Gui correu em direcção ao tractor e reparou que a sua namorada estava completamente esmagada por uma roda do veículo.
Chegou o Inem para retirar o corpo mas era tarde demais. Gui ficou destroçado porque tinha acabado de perder a sua namorada, quase noiva, pois ele ia pedi-la em casamento nessa noite. Que ia ser deste pobre hamster? Completamente só, Gui não viu outra saída…para tentar esquecer o trágico acidente, resolveu começar a beber para afogar as mágoas.
A partir dali a sua vida mudou completamente. Numa noite, ao jantar, a mão do Gui, dona Palmira tentou falar com ele, sobre uma ideia que tinha para tentar trazer o seu filho de volta. Essa ideia era ele ir a consultas de alcoólicos anónimos.
Gui lançou um olhar assustador e disse:
- Deves tar mocada, oh cota! Deu um murro na mesa e levantou-se.
Fechou-se no quarto e pôs a lamentar-se a sua vida miserável e jurou a si mesmo, naquele momento, que iria matar o seu amigo pois ele culpava-o da morte de Gisela. Vestiu o seu casaco de cabedal, pôs os seus óculos de sol e foi na sua vespa ter a um bar de drogados, onde foi falar com o chefe de tráfico de armas daquelas redondezas.
No dia seguinte já tinha a sua arma nas mãos. Apanhou a carreira e foi à casa do Qriz, mas ele não estava.
Sentou-se numa escada e esperou, mas como ele nunca mais voltava, resolveu ir a um supermercado buscar algo para beber. Como não tinha dinheiro, pegou numa garrafa de whisky e pôs-se a andar sem pagar. O dono do supermercado ainda tentou ir atrás dele, mas tropeçou e nunca mais o viu. Ao longe, viu o Qriz a chegar e correu em sua direcção dizendo:
- Temos que falar!
- Ya, tasse bem mano entra!
- Senta-te, põe-te à vontade!
- Não é preciso, eu vou ser rápido! Olha nem penses que matas a minha miúda e te ficas a rir, oh palhaço!
- Não entendo o que estás a dizer.
- Ah não entende, também não precisas!
Sacou a arma e deu-lhe um tiro mesmo no centro da testa.
Ao sair já tinha um exército de bófias à espera dele.
- Senhor Guilherme Carrapicinho está preso por roubo e por ter assassinado uma pessoa.
Além de tudo o que aconteceu a este ratinho, ainda ia ser preso!
Há gente, neste caso ratos, com muito azar na vida!
Já na esquadra, o agente anunciava a pena de prisão ao Gui.
-Senhor Guilherme irá ficar preso durante 45 anos por ter roubado, assassinado uma pessoa, e possuir uma arma ilegal!

45 Anos depois…

Tinha finalmente chegado o dia! Gui saía da prisão e chegou a uma conclusão: ia seguir com a sua vida!
Parece que este tempo todo na prisão o fizera abrir os olhos! Arranjou um emprego, começou a assistir a consultas dos alcoólicos anónimos, onde conheceu uma paciente que também tinha o mesmo trauma: a bebida. Começaram a conversar, a sair juntos, tornaram-se muito amigos até que Gui, numa noite, ganhou coragem e pediu a Papoila em namoro e, é claro, que ela aceitou!
Até que enfim aquele hamster arranjara uma vida feliz e reencontrara o amor.
De repente, Gui acordou muito sobressaltado e pensou:
- Ufa…! Foi só um sonho…!
Claro que este hamster teve uma vida feliz, não ao lado da sua papoila, mas da sua querida Gisela que lhe deu várias ninhadas de filhotes!


FIM

Rita, Miguel Ângelo e Tânia, 9º E

quarta-feira, março 03, 2010

Concurso Nacional de Leitura na ESA


Depois de concretizada a prova escrita, que ocorreu no final do período transacto, o expressivo número de alunos do 3º. Ciclo e do Secundário da ESA que aderiram ao Concurso Nacional de Leitura concluiu a primeira eliminatória, de âmbito escolar, tendo realizado, nos dias 12 e 13 de Janeiro, apresentações orais dos livros lidos (que não poderiam ultrapassar os três minutos), sob a forma de um Fórum de Leitura
Reunidos no Centro de Recursos, os alunos leitores, de forma responsável e entusiasta, apresentaram os livros da sua escolha, embora com base numa lista fornecida, partilhando com os colegas a sua experiência de leitura, justificando a escolha, apresentando o assunto, fazendo comentários e tirando ilações. Foram vários os livros apresentados, quase todos em prosa narrativa e de autores contemporâneos, muitos deles consagrados, como José Saramago, que mereceu a preferência da generalidade dos alunos de 12º. Ano.
O Júri, constituído pelos docentes Jorge Brandão (professor-bibliotecário), Leonor Alves, Ana Forte, Manuel Martins, Manuela Sousa e Fernanda Neves, escolheu os três vencedores de cada ciclo, depois de ponderadas as prestações na prova escrita e oral, o que não se afigurou tarefa fácil, já que houve várias prestações de grande qualidade.
Assim, ficaram apurados para a fase distrital os seguintes alunos:
3º. Ciclo: Sylvie Dias (8º. A); Rita Aguilar (8º. A); Carina Ribeiro (9º. D)
Secundário: Jeannette Rodrigues (11º. A); Sara Esteves (11º. A); Ana Patrícia Ribeiro (12º. A).
Estes alunos vão estar envolvidos, no próximo dia 24 de Março, na Final do Distrito de Braga, na Biblioteca Municipal de Vieira do Minho, onde representarão a nossa escola.
Para além dos docinhos oferecidos nos dois momentos das provas e do diploma confirmativo de presença, todos os concorrentes irão receber como prémio de participação um livro, mas os vencedores terão este prémio reforçado. A entrega dos prémios será no dia 22 de Março (A evocar o Dia da Poesia, evocado no dia anterior, domingo), estando a preparar-se uma cerimónia especial.
Segundo a opinião dos participantes, esta iniciativa é muito pertinente e foi dinamizada com êxito, estimulando o interesse pela leitura, sobretudo literária, que é uma forma de ajudar os alunos a enriquecerem-se pessoalmente bem como em competências/conhecimentos, afigurando-se uma “porta aberta” para a conquista de novos horizontes.
A Biblioteca da ESA, organizadora do concurso a nível escolar, contando com a colaboração do grupo disciplinar de Português, congratula-se com a expressiva adesão dos alunos e com a qualidade das suas prestações, o que evidencia um acrescido interesse pela leitura e superior capacidade leitora, sinal de que deveremos continuar neste bom caminho, apostando no trabalho de motivação/sensibilização à leitura, competência estruturante e transversal que ajudará a melhorar os índices de sucesso escolar e a formar jovens mais cultos e, portanto, mais capazes de enfrentar um futuro desafiador e exigente.
Invertendo o que sentencia Padre António Vieira (“Quem não lê não quer saber, e quem não quer saber quer errar.”) propõe-se, então, esta máxima como lema a seguir:
Quem lê quer saber, e quem quer saber irá vencer!
Ana Forte



DIA MUNDIAL DA FILOSOFIA 2017 No Dia Mundial da Filosofia, assinalamos a data com diversas iniciativas. De manhã foram colocados, na Sa...